Tribuna Tech Notícias
Tecnologia

Comunidades nos EUA onde estão escritórios de empresas de tecnologia sofrem com crise no setor

Quando o presidente da Microsoft, Brad Smith, anunciou em fevereiro de 2021 que a gigante da tecnologia havia comprado um terreno de 90 acres no lado oeste de Atlanta, ele apresentou uma visão ousada: a empresa, disse ele, investiria na comunidade e a colocaria “no caminho para se tornar um dos maiores hubs da Microsoft” nos Estados Unidos.

O anúncio, que teve cobertura entusiástica na mídia local, prometia a construção de moradias acessíveis, programas para ajudar crianças de escolas públicas a desenvolver habilidades digitais, apoio a faculdades e universidades historicamente negras, novo financiamento para organizações sem fins lucrativos locais e banda larga acessível para mais pessoas em Atlanta.

“Nossa maior questão hoje não é o que Atlanta pode fazer para apoiar a Microsoft”, escreveu Smith. “É o que a Microsoft pode fazer para apoiar Atlanta.”

Dois anos depois, a Microsoft anunciou uma série de esforços para cortar custos, incluindo a eliminação de 10 mil empregos, mudanças em seu portfólio de hardware e consolidação de aluguéis. Como parte dessas mudanças, a Microsoft colocou o desenvolvimento de seu campus em Atlanta em pausa este mês, confirmou um porta-voz.

A decisão de pausar os planos parece uma “promessa quebrada” que pegou muitos moradores do bairro predominantemente negro onde a Microsoft planejava construir o campus desprevenidos, de acordo com Jasmine Hope, moradora local e presidente de sua unidade de planejamento de bairro.

“Todas as promessas de ‘vamos colocar uma mercearia aqui, vamos trazer empregos para a área, vamos ter um canal entre as escolas e a Microsoft para criar empregos’, tudo isso parece como se fosse pela janela”, disse ela. “Mas as consequências ainda estão sendo sentidas pelo bairro.”

Um porta-voz da Microsoft disse que o terreno não está à venda, “e ainda pretendemos reservar um quarto dos 90 acres para as necessidades da comunidade”. A Microsoft continuará os esforços “para criar um impacto positivo na região e ser um parceiro contribuinte da comunidade”, acrescentou o porta-voz.

À medida que a indústria de tecnologia cresceu nos Estados Unidos na última década, cidades de todo o país competiam para se tornarem centros de tecnologia.

Funcionários estaduais e municipais competiram para que os gigantes do Vale do Silício trouxessem escritórios, data centers e armazéns para suas comunidades na esperança de criar empregos e trazer outros benefícios que os governos locais sem dinheiro poderiam ter dificuldade em financiar por conta própria. Talvez no maior exemplo disso, 238 comunidades apresentaram propostas em 2017 para abrigar a segunda sede da Amazon, com algumas oferecendo grandes incentivos fiscais ou até mesmo para renomear a terra como “cidade da Amazon”.

Related posts

Se cuida, ChatGPT! Meta libera tecnologia de IA de graça

Rollang Barros Tenis

Demissões na Meta: por que empresas de tecnologia estão vivendo baixa histórica

Rollang Barros Tenis

Contra tubarões: conheça a tecnologia adotada nos EUA para proteger banhistas

Rollang Barros Tenis